Postagens

Mostrando postagens de 2015

Quadro Geral dos Povos Indígenas no Brasil e Políticas indigenistas brasileiras

Imagem
General table of the Indigenous Peoples in Brazil and Brazilian indigenous Policies

" The numbers this Listing are approximate due to the numerous problems and difficulties faced When produce hum Census of Indigenous Peoples in the country , especially nos ethnic Cases that are distributed in many indigenous lands whose census Were Made in times and different institutions ." Source : Indigenous peoples in Brazil .

http://pib.socioambiental.org/pt/c/quadro-geral http://pib.socioambiental.org/pt/c/politicas-indigenistas/orgao-indigenista-oficial/introducao
                                                         xxx
"Os números desta listagem são aproximados, devido aos inúmeros problemas e dificuldades enfrentadas  ao se produzir um censo das populações indígenas no país, principalmente nos casos de etnias que estão distribuídas em várias Terras Indígenas, cujos censos foram feitos em épocas e instituições diferentes". Fonte: Povos Indígenas no Brasil. http://pib.so…

Nova cartografia Social da Amazônia: quadro de projetos de mapeamento social das comunidades indígenas e tradicionais da região amazônica

Imagem
Nova cartografia Social da Amazônia: quadro de projetos de mapeamento social das comunidades indígenas e tradicionais da Região Amazônica.



http://novacartografiasocial.com/quadro-de-projetos/

Povos e Comunidades Tradicionais do Brasil - cartilhas para download.

Imagem
Povos e Comunidades Tradicionais do Brasil O Projeto Nova Cartografia Social da Amazônia (PNCSA) tem como objetivo dar ensejo à auto-cartografia dos povos e comunidades tradicionais na Amazônia. Com o material produzido, tem-se não apenas um maior conhecimento sobre o processo de ocupação dessa região, mas sobretudo uma maior ênfase e um novo instrumento para o fortalecimento dos movimentos sociais que nela existem. Tais movimentos sociais consistem em manifestações de identidades coletivas, referidas a situações sociais peculiares e territorializadas. Estas territorialidades específicas, construídas socialmente pelos diversos agentes sociais, é que suportam as identidades coletivas objetivadas em movimentos sociais. A força deste processo de territorialização diferenciada constitui o objeto deste projeto. A cartografia se mostra como um elemento de combate. A sua produção é um dos momentos possíveis para a autoafirmação social. É nesse sentido que o PNCSA busca materiali…

DocuQueer: Preservando a comunidade LGBT através de Coleções colaborativas - Convite à apresentação de propostas de artigos

Imagem
DocuQueer: Preserving Community Through Collaborative Collections – Call for Proposals.IFLA/Users LGBT SIGtem o prazer deoferecerum encontrosatélitenuma conferênciaem Chicago, em11 de agosto de 2016.

Novas comunidades Quilombolas são certificadas pela Palmares

Imagem
http://www.cultura.gov.br/noticias-destaques/-/asset_publisher/OiKX3xlR9iTn/content/id/1309889
 O Brasil avançando pelos direitos das comunidades e riquezas quilombolas!
A Fundação Cultural Palmares (FCP) reconheceu, nessa quinta-feira (3), 13 comunidades como remanescentes de quilombos. A maior parte das comunidades recém-certificadas fica localizada no estado de Minas Gerais: Marobá, no município de Almenara; Pradinho, em Bertópolis; Mocambo, Sítio, Macaúbas Palmito e Macaúbas Bela Vista, em Bocaiúva; Serrinha, em Frutal; e Córrego do Meio, no município de Paula Cândido. Na Bahia, foi certificada a comunidade de Carreiros, no município de Mercês; em Rondônia, a de Santa Cruz, em Pimenteiras D´Oeste; e em Tocantins, as comunidades de Água Branca e Matões, em Conceição de Tocantins, e Carrapiché, Ciriáco e Prachata, no município de Esperantina. Para serem certificadas, as comunidades, cientes dos seus direitos, fazem um requerimento para a FCP solicitando a certidão de au…

Quilombola pesquisador do PNCSA é aceito em doutorado nos Estados Unidos

Imagem
http://www.geledes.org.br/quilombola-pesquisador-do-pncsa-e-aceito-em-doutorado-nos-estados-unidos/#ixzz3tefp8q00




David Pereira Junior is maroon Community of Itamatatiua - Alcântara in Maranhão. David is PNCSA researcher since 2005 , while still a graduate student travel history of the Center for Advanced Studies of the State University of Caxias Maranhão CESC / UEMA . Specialized themselves in " Traditional Peoples and Communities " UEMA (2009 ) and a master's degree in anthropology at the Federal University of Bahia - UFBA ( 2012) . It was accepted by The University of Texas at Austin for the five-year period (2015 - 2019) and is completing the first half in the Teresa Lozano Long Institute of Latin American Studies and Collections - Lillas / BENSON . The Researcher will dual with PhD qualifications (African Diaspora and Anthropology ) . The course will last for five years, and will be led by Dr. Charles Hale and Bjorn Sletto Lillas / BENSON - UT and the Brazilian anth…

Minha Casa Minha Vida Rural investiu 1,4 milhão para a construção de moradias, beneficiando comunidades quilombolas em Recife

Imagem
Maria Daniele Cavalcante de Albuquerque trocou casa de barro por casa de alvenaria.


Comunidades quilombolas de Pernambuco recebem moradias: Minha Casa Minha Vida Rural investiu 1,4 milhão para a construção de moradias, beneficiando comunidades quilombolas em Recife
O programa Minha Casa Minha Vida Rural entregou, na última semana, as chaves de novas casas para as comunidades de quilombolas em Bom Conselho, no interior de Pernambuco. Maria Daniele Cavalcante de Albuquerque, uma das contempladas, comemorou a conquista. "Temos casa boa para morar. Posso dizer, agora, que somos ricos. Meu banheiro é quase um quarto de tão grande. Uma maravilha. É tudo mais seguro e mais aconchegante", enfatizou Maria Daniele, moradora da Comunidade Quilombola do Sítio Flores. Até a semana passada, ela vivia em uma casa de barro, sem água encanada ou fossa

http://www.brasil.gov.br/infraestrutura/2015/11/comunidades-quilombolas-de-pernambuco-recebem-moradias

Guia de Gestão de Pesquisa - CNEN

Gerenciamento de dados de pesquisa é o processo de supervisão dos dados que estão sendo gerados durante um projeto de pesquisa. Qualquer pesquisa vai exigir algum nível de gerenciamento de dados, e as agências de financiamento estão cada vez mais exigindo que os cientistas e acadêmicos planejem e executem as boas práticas de gestão desses dados. O Guia de Gestão da Dados de Pesquisa elaborado por Luana Sales e Luís Fernando Sayão busca, nesse sentido, orientar os pesquisadores e os profissionais de informação frente a esses novos desafios (CNEN, 2015).
http://www.cnen.gov.br/component/content/article?id=160

Escravidão, Abolição e Pós-Abolição - CASA RUI BARBOSA

Imagem
Escravidão, Abolição e Pós-Abolição Este sítio apresenta uma variedade de materiais e referências sobre os temas Escravidão, Abolição e Pós abolição. O pesquisador terá acesso a documentos digitalizados, referências e links para sítios correlatos, além de um vocabulário controlado sobre o tema. Além disso, pretendemos ampliar o acesso às exposições tradicionalmente organizadas pela Fundação Casa de Rui Barbosa e estimular a formação do jovem pesquisador oferecendo um espaço interativo onde o usuário pode participar de uma série de jogos organizados a partir de cópias digitais dos documentos. O sítio é composto por 8 áreas. http://www.memoriaescravidao.rb.gov.br/




Pontos de Leitura Ancestralidade Africana no Brasil

Imagem
Pontos de Leitura Ancestralidade Africana no Brasil. O projeto tem por objetivo apoiar e estimular iniciativas culturais, já em andamento, voltadas para a promoção, preservação e divulgação da história e cultura africana e afro-brasileira.
http://snbp.culturadigital.br/projetos/pontos-de-leitura-ancestralidade-africana-no-brasil/

“Tava dormindo
Angoma me chamou
Disse levanta povo
Cativeiro se acabou.”  - canto de várias comunidades jongueiras.


Tambu, batuque, caxambu, jongo. Manifestação cultural afro-brasileira, o jongo é o tema deste 5º volume da série de dossiês sobre os bens culturais de natureza imaterial registrados. O jongo é uma forma de expressão que integra percussão de tambores, dança coletiva e elementos mágico-poéticos. Tem suas raízes nos saberes, ritos e crenças dos povos africanos, sobretudo os de língua bantu. É cantado e tocado de diversas formas, dependendo da comunidade que o pratica. Consolidou-se entre os escravos que trabalhavam nas lavouras de café e cana-de-açúcar localizadas no Sudeste brasileiro, principalmente no vale do Rio Paraíba do Sul. É um elemento de identidade e resistência cultural para várias comunidades e também espaço de manutenção, circulação e renovação do seu universo simbólico. Proclamado Patrimônio Cultural Brasileiro em novembro de 2005 pelo Instituto do Patrimô…

Livro: 'Educação para recordação do holocausto cigano', edited by Anna Mirga-Kruszelnicka, Esteban Acuña C. and Piotr Trojański; Libron (2015).

Imagem
Book Release: “EDUCATION FOR REMEMBRANCE OF THE ROMA GENOCIDE: SCHOLARSHIP, COMMEMORATION AND THE ROLE OF YOUTH”Posted onNovember 18, 2015byinblogEdited by Anna Mirga-Kruszelnicka, Esteban Acuña C. and Piotr Trojański; Libron (2015). http://2august.eu/book-remembrance/ "Em agosto, o Ype Internacional Roma - Rede de Jovens Roma - reuniu mais de 1.000 jovens ciganos e não ciganos de 25 países para comemorar o 70º aniversário do Roma Holocausto. O evento - Roma Genocídio Remembrance Initiative "Dikh he na bister" (Olhe e não se esqueça) - foi o maior evento comemorativo à memória do Holocausto Roma. Nunca antes tantas pessoas se reuniram em um lugar para refletir sobre a história compartilhada coletivamente e discutir sua importância para o povo cigano hoje.


Indígena de 81 anos aprende a usar computador e cria dicionário para salvar seu idioma da extinção.

Imagem
Indígena de 81 anos aprende a usar computador e cria dicionário para salvar seu idioma da extinçãohttps://www.globalonenessproject.org/resources/lesson-plans/recording-dying-language O documentário “Marie’s Dictionary”, disponível no Youtube, nos mostra a motivação de Marie e seu trabalho árduo para trazer de volta e registrar um idioma que foi quase totalmente apagado pela colonização, racismo institucionalizado e opressão. No vídeo, Marie admite ter dúvidas sobre a gigantesca tarefa que ela se comprometeu: “Eu tenho dúvidas sobre minha língua, e sobre quem quer mantê-la viva. Ninguém parece querer aprender. É estranho que eu seja a última… Tudo vai estar perdido algum dia desses, não sei”. Mas com sorte, esse dia ainda vai demorar. Marie e sua filha Jennifer agora dão aulas para membros da tribo, e trabalham num dicionário em áudio para acompanhar o dicionário escrito que ela já criou. This short documentary tells the story of Marie Wilcox, the last fluent speaker of the Wukchumni l…

Palestra “A Biblioteca Pública no Brasil”, ministrada por Ana Ligia Medeiros, diretora do Centro de Memória e Informação da Fundação Casa Rui Barbosa

Imagem
http://www.casaruibarbosa.gov.br/interna.php?ID_S=9&ID_M=3355 A Fundação Casa de Rui Barbosa (FCRB) promove, no dia 18 de novembro, às 14h30, a palestra “A Biblioteca Pública no Brasil”, ministrada por Ana Ligia Medeiros, diretora do Centro de Memória e Informação da FCRB. O evento faz parte da série Memória & Informação e acontece na sala de cursos da instituição. A entrada é franca.
:: Ementa: A situação das bibliotecas públicas brasileiras, a partir da visão de atores políticos e pesquisadores, é o tema da tese "Desconhecida pela comunidade e desprezada pelas autoridades: a biblioteca pública no Brasil". A autora, ainda, percorre a literatura especializada revelando como a biblioteca vem se adaptando ao contexto, refletindo tempo e espaço, mudando a visão de sua relação com seu público. Outro aspecto analisado foi a evolução das políticas públicas para a área de bibliotecas.

The Importance of Getting Roma Children into School Early (A Importância de incluir crianças ciganas no Ensino Fundamental)

Imagem
The Importance of Getting Roma Children into School Early
by Iliana Sarafian
https://www.opensocietyfoundations.org/voices/importance-getting-roma-children-school-early


Educação infantil não é uma extravagância, é essencial, especialmente no caso das crianças ciganas, como aponta um novo relatório de co-autoria da Fundação Open Society. Nos últimos anos, uma série de evidências têm demonstrado a importância econômica e social do investimento no desenvolvimento da primeira infância. Uma pesquisa financiada pela União Europeia, sobre as etnias Roma, confirmou a forte influência da educação pré-escolar nas competências dos alunos. Em todos os aspectos monitorados, as diferenças foram exibidos entre as crianças ciganas que frequentam o jardim de infância e as crianças ciganas que não (SARAFIAN, 2015, tradução nossa). Nesse sentido, questiona-se a inclusão de valores educacionais e culturais a estas populações, preservação de sua herança cultural para o futuro!

Embaixada Cigana do Brasil Phralipen Romane, Nicolas Ramanush: luta contra o preconceito nada melhor do que a verdade!

Antropólogo e presidente da Embaixada Cigana do Brasil Phralipen Romane, Nicolas Ramanush recebeu a equipe do Observatório Itaú Cultural para uma conversa sobre os diferentes grupos de ciganos e sobre a situação de sua cultura, especialmente no país. Ramanush falou ainda da importância, dos projetos e dos principais desafios da instituição e das políticas públicas necessárias para a inclusão, a valorização e a diminuição das diferenças étnicas por meio da cultura, no Brasil e no mundo.

Depoimento gravado na sede da Embaixada Cigana do Brasil Phralipen Romane, em São Paulo (SP), em julho de 2015.

Créditos
Gerente do Núcleo de Inovação|Observatório: Marcos Fernandez Cuzziol
Coordenadora do Núcleo de Inovação|Observatório: Luciana Modé
Produção de conteúdo do Núcleo de Inovação|Observatório: Deise Costa (estagiária)
Apoio técnico do Núcleo de Inovação|Observatório: Andreia Briene
Captação: Rafael Figueiredo
Gerente do Núcleo de Audiovisual e Literatura: Claudiney Ferreira
Coordenadora do Núcleo d…

Acervo de canções indígenas da Amazônia chega na internet

Imagem
Acervo de canções indígenas da Amazônia chega na internet Por 
25/11/2013 00:00
http://amazoniareal.com.br/acervo-inedito-de-cancoes-indigenas-da-amazonia-chega-na-internet/

A diversidade musical das comunidades indígenas do norte do Amazonas e do Estado de Roraima foi reunida em uma inédita e rica coletânea. São quase quatro horas de 80 faixas musicais de grupos indígenas das etnias baniwa, wapichana, macuxi e tauepang, resultado do projeto intitulado “A Música das Cachoeiras” do grupo Cauxi Produtora Cultural. O nome é uma referência às correntezas e cachoeiras da bacia do Alto rio Negro, no Amazonas. Agenor Vasconcelos, coordenador do projeto, define o projeto como um “registro etnográfico audiovisual”, no qual o principal foco é a música. O acervo completo do projeto para stream e download está disponível no site soundcloud.com/musicadascachoeiras. Luiz Laureano Baniwa, do Alto Rio Negro, que toca instrumentos feitos de casco de tracajá e flautas de paxiúba. Foto: Divul…

Power and community: organizational and cultural LGBT responses against homophobia and promotion of inclusion values

Imagem
Power and community: organizational and cultural LGBT responses against homophobia and promotion of inclusion values
SILVA ALENTEJO, Eduardo da (2014) Power and community: organizational and cultural LGBT responses against homophobia and promotion of inclusion values. Paper presented at: IFLA WLIC 2014 - Lyon - Libraries, Citizens, Societies: Confluence for Knowledge in Session 151 - Lesbian, Gay, Bisexual, Transgender and Queer/Questioning Users Special Interest Group. In: IFLA WLIC 2014, 16-22 August 2014, Lyon, France.

http://library.ifla.org/1010/

Acervo de canções indígenas da Amazônia

Imagem
http://amazoniareal.com.br/acervo-inedito-de-cancoes-indigenas-da-amazonia-chega-na-internet/

por: Elaíze Farias 25/11/2013 00:00

   A diversidade musical das comunidades indígenas do norte do Amazonas e do Estado de Roraima foi reunida em uma inédita e rica coletânea. São quase quatro horas de 80 faixas musicais de grupos indígenas das etnias baniwa, wapichana, macuxi e tauepang [...]




















Foto: Divulgação.

A INFLUÊNCIA AFRICANA NO PORTUGUÊS DO BRASIL. Autor Renato Mendonça

Imagem
A INFLUÊNCIA AFRICANA NO PORTUGUÊS DO BRASIL. Autor Renato Mendonça (2012), em pdf.

O valor dessa obra é imenso, principalmente porque traz e atualiza os estudos importantes na área da linguística, antropologia e literatura brasileira. "Em 1789, no primeiro dicionário monolíngue do idioma português, Antônio Morais e Silva já identificava várias palavras de origem africana, como batucar, cafuné, malungo e quiabo, de uso corrente entre os brasileiros. Ao longo do século XIX e nas três décadas do seguinte, não faltaram vozes a chamar a atenção para a presença africana no português do Brasil, mas mesmo num estudo mais penetrante como o de Antônio Joaquim de Macedo Soares, “Sobre algumas palavras africanas introduzidas no português que se fala no Brasil”, estampado em 1880 na Revista Brasileira, essa participação era considerada ainda menor do que a do tupi e outras línguas ameríndias. Embora Macedo Soares visse com interesse quase afetuoso o contributo africano, é ainda pequeno o esp…

RESOLUÇÃO N.o 196/96 e RESOLUÇÃO Nº 466 Sobre pesquisa envolvendo Seres Humanos

RESOLUÇÃO N.o 196/96 Sobre pesquisa envolvendo Seres Humanos. RESOLUÇÃO Nº 466, DE 12 DE DEZEMBRO DE 2012. Ambas resoluções do Conselho Nacional de Saúde (MS)
Pesquisa submetida à Plataforma Brasil - instância responsável pela submissão ética de pesquisas brasileiras.
Prezados membros do grupo de pesquisa, nosso próximo encontro tratará de treinamento à legislação de Ética em Pesquisa. O mais importante em nossa abordagem etnográfica será para os próximos anos considerar e legislação como um todo, e fortemente considerando que: Alínea l da resolução) 'respeitar sempre os valores culturais, sociais, morais, religiosos e éticos, bem como os hábitos e costumes quando as pesquisas envolverem comunidades';
Nossa pesquisa devidamente registrada na universidade, aprovada pelo Colegiado da EB está em consonância com as diretrizes da Legislação de Ética em Pesquisa, tais como:
"Considerando a Constituição Federal da República Federativa do Brasil, cujos objetivos e fundamentos d…

O Plano Nacional do Livro e Leitura (PNLL) e nossas questões!

Imagem
Olá Grupo de Pesquisa Brazil Multicultural, o Brasil desde muito tem se preocupado (entidades civis, governos e instâncias culturais-educacionais). Exemplo disso é o Plano Nacional do Livro e Leitura (PNLL). O PNLL é desenvolvido pelo Ministério da Cultura (MinC) e pelo Ministério da Educação (MEC). As ações são realizadas pela Fundação Biblioteca Nacional (FBN) e pela Coordenadoria Geral de Livro e Leitura (CGLL). Este tem por objetivo central o acesso de todo cidadão ao livro e à leitura, o acesso à biblioteca pública de toda denominação estrutural. Se o acesso de todo cidadão ao livro e à leitura é um direito de todos, direito este reconhecido em todas as esferas sociais, questiona-se centralmente em nosso projeto de pesquisa como as comunidades do estudo exercem a cidadania por essa perspectiva, pelo acesso aos bens culturais? O que as bibliotecas armazenam e dão acesso A TODOS de modo que todos os valores possam ser incluídos, se estão na coletividade, na sociedade, os valores s…

Artigo: Modernidade, identidade e a cultura de fronteira. Por BOAVENTURA DE SOUSA SANTOS

Imagem
Modernidade, identidade e a cultura de fronteira. Por BOAVENTURA DE SOUSA SANTOS

"um certa instituição brasileira não consegue respeitar a diversidade cultural, insiste em exigir que o cigano comparece munidos de IPTU e comprovante de residência" --- BOAVENTURA DE SOUSA SANTOS.

http://www.boaventuradesousasantos.pt/media/Modernidade%20Identidade%20Fronteira_TempoSocial1994.pdf




Bibliotecas rurais para inclusão social no Brasil

Imagem
Bibliotecas rurais para inclusão social no Brasil


O artigo descreve os aspectos metodológicos do Programa de Bibliotecas Rurais Arca das Letras, do Ministério do Desenvolvimento Agrário, que tem como objetivos implantar bibliotecas, formar agentes de leitura e promover a inclusão social por meio do incentivo à leitura e do acesso ao livro no campo, e também apresenta as etapas do processo de participação comunitária no planejamento e gestão das bibliotecas.

http://revista.ibict.br/inclusao/index.php/inclusao/article/viewFile/126/156